quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Incompletude


Hoje eu comecei a entender o que o amor deve ser se ele existir...

Quando nos separamos, cada um sente falta de uma metade de si mesmo 

Ficamos incompletos... 
Como um livro em dois volumes, sendo que o primeiro foi perdido
É assim que eu imagino que o amor deve ser
A incompletude na ausência.

sábado, 8 de setembro de 2012

Salve-me




Espero por um pequeno sinal
Que parece ser inútil
De cabeça baixa, vago pelas ruas sem rumo
Rezando para alguém roubar minha bolsa de memórias
Como você chama isso de destino
Quando a cruz que você carrega é sua única companhia

Nunca sei o que esperar do futuro
Mas continuo acreditando

Que você vai me salvar
De alguma maneira eu tenho uma noção
Apenas um pouco de afeto nesta fria e tempestuosa estrada
Salve-me, de um estado depressivo, dessa falta de emoção
Só um pouco de paixão nesta tempestuosa estrada

Por que isso tudo é tão confuso?
Por que crescer machuca tanto?
Nós procuramos e nos perdemos
Encontramo-nos e partimos novamente
Não vou fazer promessa nas quais eu não acredito

Eu não sei se posso, Nem se deveria
Não sei o que é certo, e o que aconteceria se você aceitasse
Aqui parada na chuva, aqui sozinha no frio.
Lutando para trazer a vida para minha alma
Só preciso de um pouco de paixão nesta tempestuosa estrada

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Fragmentos do Tempo




Só percebemos o momento
Quando o buscamos no passado.

O presente à nossa volta nos entorpece
Turva os pensamentos.

É preciso pressa; agora.
Mais tarde,

Quando tudo se tornar memória,
Somos ainda capazes de retocar os acontecimentos.


Pegamos para nós; arrancamos do tempo.
Os que fazem isto com arte chamam-se poetas.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Eu não preciso mais de nada para ser feliz...



Eu não preciso mais de nada
Para ser feliz
Se deitou em meus braços
Me deu um beijo e sorriu pra mim
E de tão bela cena
Eu não quis me mexer
Somente compreender
A simplicidade sem fim
De um amor verdadeiro
Que se pode sentir.


terça-feira, 31 de julho de 2012


Ainda bem que sempre existe outro dia... 
Outros sonhos... 
Outros risos... 
Outras pessoas. 
E outras coisas.


quarta-feira, 25 de julho de 2012

Que o Vento Traga...




Fui menina que brincava com o vento. 
Tão apaixonada pelo céu que senti vontade voar. 
Voei...fui...vi muito do mundo, mas nunca o suficiente. 

Hoje nem sei mais o que produzo...se telas, caixas ou sonhos. 
Quero contos e poesias.
Que o vento me traga novidades...

...Ele sempre trás.

sábado, 7 de julho de 2012

FORA DE MIM - MARTHA MEDEIROS (Trecho)



Não sei se as pessoas choram de forma diferente umas das outras
Eu choro contraída, como se alguém estivesse perfurando minha alma com uma lâmina enferrujada
Choro como quem implora, como se não pudesse mais suportar
Mas o insuportável é uma medida que nunca tem limite

Choro no domingo, na segunda, na terça, em várias partes do dia e da noite 
Um choro de quem pede clemência, de quem está sendo confrontado com a morte 
De quem esta abandonando uma vida que não teria mais 
Sofro minha própria despedida, morte e parto

Eu tinha que renascer e não queria, não quero, sinto que caí num vácuo, perdi a parte boa da minha história e não quero outra 
Enquanto choro penso que se alguém me visse chorar dessa maneira me salvaria ou me prestaria socorro, chamaria uma ambulância

Estar sozinha nessa aflição me condói de mim mesma, é o labirinto do inferno, não há saída, não há saída Você não está me esperando lá fora, nem hoje, nem amanhã, você não vai fazer nenhum gesto para me resgatar
E é isso que me faz descrer de tudo, eu estou infeliz sem você 

Felicidade é um resumo fácil, uma preguiça de investigar o muito mais que nos ergue diariamente
Na época era o que me bastava, eu sabia onde estava e com quem, eu não estou infeliz
Eu só estou perdida, ninguém sabe onde estou, largaram meu corpo em cima dessa cama e ninguém me procura.

Choro, choro muito, choro agora e choro todo dia 
Sinto uma piedade inconsolável de mim, de tanto que recordo o quanto te quis 
E o quanto te admirei pela paixão que dizia sentir por mim 
Paixão de doer, paixão de não dar certo mesmo, paixão de perder a noção, e perdi por completo 

Hoje tento compreender duas ou três frases e nem isso me cabe
Ficou tudo sem lógica, eu que prezo tanto a lógica, não entendo mais nada 
Mergulhei no escuro da minha perplexidade, você era meu bem e se tornou o meu mal 

Pouco tempo mas vou sair dessa, veja, já estou enxugando as lágrimas, procurando meu celular para fazer uma ligação qualquer. 
Esses compromissos que a gente inventa para fingir que a vida continua. 
Marquei hora no cabeleireiro sem ter motivo algum pra ficar bonita.
(...)

sábado, 19 de maio de 2012

(In)completa




Um dia eu encontrarei alívio
Eu estarei em paz 
Eu estarei esclarecida 
Estarei casada e talvez com crianças

Um dia eu estarei curada
Eu curarei meus ferimentos forjando o fim de uma trágica comédia
Eu estive correndo tanto em toda a minha vida 
Atrás de uma linha final 
Tenho sentido saudades do enlevo todo esse tempo
Por ser para sempre incompleta

Um dia, minha mente irá regressar 
E eu conhecerei Deus 
Serei constantemente aquela noturna penumbra
Um dia eu estarei segura 
Igual às mulheres que eu vejo em seus trigésimos aniversários
Sempre germinando, sempre expandindo
Sempre aventurosa e tortuosa 
Mas nunca feita

Um dia, Eu falarei livremente
Eu estarei com menos medo 
E uniforme fora dos meus poemas, letras e artes 
Um dia eu estarei cheia de fé 
Eu estarei confiando e vastamente autêntica, estabilizada e inteira
Eu estarei em constante enlevo
E nunca mais serei incompleta.

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Falas do Silêncio


"Sinto falta daquela felicidade plena.
Das noites em que eu me deitava pra dormir 
Sem aquela sensação de que o dia poderia ter sido melhor."


Sabe quando você sente aquele aperto no peito
Junto com aquele nó na garganta 
Vêm o medo de não sei o quê 
Vem a coragem para enfrentar o mundo 
Você chora por medo do amanhã 
Sente saudade e quanta saudade que bate aqui 
Incertezas e alegrias... 

Sabe quando tudo se mistura 
Parece uma bola de neve
Não apenas branca, mas de todas as cores 
Sentimentos e pessoas 
Aquele eterno não saber...

Sabe quando você quer correr para alcançar algo que não vê 
E fica parado olhando tudo desmoronar 
Olhando as coisas se perderem com lágrimas nos olhos 
Querendo gritar, querendo se segurar 
Mas fica calado, esperando que entendam seu silencio 
E percebe que as pessoas continuam 
Ninguém pára... 

Têm tanta coisa envolvida 
Que em algum momento você sente que vai transbordar 
Ninguém vê, mas sabe. 
Eu sinto.

sábado, 14 de abril de 2012

A Idade de Ser Feliz



Existe somente uma idade para a gente ser feliz
Somente uma época na vida de cada pessoa
Em que é possível sonhar e fazer planos
E ter energia bastante para realizá-las
A despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
E desfrutar tudo com toda intensidade
Sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
E recriar a vida
A nossa própria imagem e semelhança
E vestir-se com todas as cores
E experimentar todos os sabores
E entregar-se a todos os amores
Sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
Em que todo o desafio é mais um convite à luta
Que a gente enfrenta com toda disposição
De tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO
E quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
Chama-se PRESENTE
E tem a duração do instante que passa.
***

Obrigada por tudo não é o bastante para te agradecer 
Por ter sido tao especial, carinhosa, irmã e conselheira.

Beijos e Feliz Aniversário!!!


te adoro **

domingo, 8 de abril de 2012

Da minha janela



Da minha janela vê-se uma espécie muito rara de angústia
Tem o corpo que não ousei que me fosse
Usa o amor como se fosse a origem da sede
E sossega-se contra o peito da alvorada

Da minha janela vê-se uma espécie única de medo
Chama-se eu mas diz-se tu
E por vezes nós quando prende a vida
A algo tão falível como a vida

Da minha janela não se vê mais nada
Ouve-se o silêncio contra mim
E chove morte contra os vidros
Por dentro como soa o fim.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Despedaçado



A parte mais difícil
Foi te deixar ir sem me despedaçar

A coisa mais estranha

Foi esperar aquele telefone tocar


Eu podia sentir crescer

O gosto agridoce na minha boca

Saudades forradas por dor


Seu coração pesado
Ele é feito de pedra
É muito difícil enxergar com clareza
Eu queria que tudo pudesse ter dado certo


A parte mais difícil

Foi deixar você despedaçar...

Partir meu coração


Eu tentei fugir

Mas não conseguia pensar em nada

Foi tão triste...


Tudo o que eu sei está errado

Tudo o que eu faço acaba se arruinando

E tudo está se despedaçando



Não é fácil
Ter que juntar os pedaços e continuar andando
Tentar agir como se nada me afetasse
Essa tem sido a parte mais difícil pra mim.

                             ¨

quarta-feira, 28 de março de 2012

Fora de Rumo



Estou exausta! Completamente exausta.
Quando o despertador toca; 
Abro os olhos e levanto a cabeça que parece pesar mais do que o corpo todo
Aperto imediatamente o botão e o silêncio regressa ao quarto
Devo ter acordado pelo menos quatro vezes durante a noite
Meu relógio biológico deve estar totalmente descontrolado

Passo o dia todo cansada
 E a noite meu sono é sempre agitado com sonhos estranhos e perturbados
Incrível como me aprofundo em pensamentos que não tem fim
Pessoas, ideias, rotinas...
Tudo acaba se tornando comum e me causando náuseas
Minha cabeça dá voltas e só para no mesmo lugar, no vazio

Eu preciso descansar me desconectar
Ficar quieta num canto e só respirar
Mudar a rotina, desligar o botão do raciocínio
Acomodar-me num cantinho, longe o suficiente...
...Silencioso

É só uma questão de tempo pra acontecer algo novamente
E eu devo estar inteira.

terça-feira, 27 de março de 2012

Um dia Daqueles


Será que Passa?

Tem dias que dá vontade de não fazer nada.
Só ficar com o corpo largado.
Olhando para o vazio.
Desafiando o tempo passar.

Tem dias que o que se quer é mesmo, não existir.
Sair do lugar onde se viver,
Sem ir para nenhum outro lugar.
Simplesmente…Sumir!


E nesse dias que um certo nó na garganta aperta.
Por qualquer coisa os olhos se enchem d’água.
Fazendo de um rato um elefante.
Que com sua enorme pata pisa na gente.

E aí vontade algum já não existe.
É nossa alma se retraindo.
O espaço ao redor já, cada vez mais infinito.
E a dor dessa desproporção, insuportável.

Nessa hora, às vezes, se reza sem fé.
Implorando baixinho por ajuda.
Mas ninguém ouve.
Estamos sós.

Mas esses dias, como todos os outros, passam.
Ou será que somos nós que passamos por eles?
Mas, com certeza, todo mundo passa.
Passa por esses dias.


sexta-feira, 23 de março de 2012

Amor Leviano


Quando me falaste de amor  
Eu te fiz calar ardendo por dentro
Te perdi como o vento que sopra e se vai sem avisar
Só me resta um retrato em algum canto do meu quarto
Um tanto escondido, junto a um livro antigo
Quase no esquecimento, mas sempre comigo

E ao te sentir perto, minhas mãos tremem
É que tenho medo desse amor leviano
Que ao te sentir faz meu coração ferver
Eu sinto falta de ti

Quando penso em afastar de ti
Sem querer me amarro mais na tua vida
Eu te peço que nunca me digas adeus
Que não te despeças

E quando chega a noite
Vejo uma luz divina
Que brilha em seus olhos
E se apaga quando amanhece o dia...
...Quando você se vai novamente. 

quarta-feira, 21 de março de 2012

Sombras Interrompidas


Você espera pelo silêncio
Eu espero por uma palavra
Lançando essas sombras
Para onde elas não deveriam estar

Sonhos invadidos
Pelo calor do sol
Tentando evitar
O que já começou

Cada dia que passa eu sinto
Que estou me esgotando
Mas ainda estarei aqui no final
Sem nada entender o que acontece com a gente
Porque você não tenta me ajudar?

Esse não é o lugar para
Essas seqüência de dores violentas
Eu tento sorrir, de verdade eu tento...
E faço isso por você

Mas você não deve ter percebido isso
Você nunca percebe.

Você espera
Eu espero
Lançando sombras Interrompidas
Pelos raios de sol até atingirem o chão
Mas os dias parecem tão longos ...

sexta-feira, 9 de março de 2012

Minha Insensatez



Quantas vezes eu olhei para o passado
E me lembrei de tudo que foi perdido?

No fundo da minha mente
Guardada numa caixa de sonhos
Esperanças sem futuro

Momentos vividos
Que foram maravilhosos
Saudade dos detalhes
Que esses momentos deixaram

No silêncio dos meus pensamentos
Vou construindo um futuro sem fundamento

Coisas que jamais aconteceriam
Mas que me fazem feliz só de imaginar

Abro os olhos
E uma onda leva tudo para o fundo
Num mar de ilusões...

E vem aquele aperto no peito
Que sufoca e tira o ar...

E nessas horas só quero correr
O mais rápido
E longe que puder

Tentar fugir de alguma coisa
Fugir de mim mesma e dos meus sentimentos
E assim
De repente acalmo a insensatez do meu coração
Então volto a si e retomo tudo de novo

A vida segue da forma que eu escolhi...
Nada dura para sempre...

quinta-feira, 1 de março de 2012

Bolhas de Sabão



Ainda há um pouco do seu gosto em minha boca
E um restante de confusão amarrada na minha dúvida
De todos os nossos crimes, eu fui a única testemunha

Todos os abraços e toques... seu rosto que não beijei
Você se aproxima um pouco a cada dia
E eu não consigo dizer o que está acontecendo

Esperanças me ensinaram a voar
O amor me ensinou a mentir
A vida me ensinou a morrer
Assim, não é difícil cair
Quando você flutua como bolhas de sabão

Ainda ouço o som da nossa canção
E de suas palavras que eu desejo ouvir
Como quebrar todas as paredes entre nós?

Sonhos me ensinaram a voar
O amor me ensinou a chorar
Não é tão difícil cair
Só não podemos nos perder
Não fica tão difícil crescer
Quando você sabe que simplesmente...
Não sabe de mais nada.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Paraíso

Com a cabeça nas nuvens
E as estrelas brilhando em seus olhos
Vive cheia de sonhos em seu coração
Tem o vento em seus cabelos
Olhando a lua brilhando forte

Acredita em anjos
E na vontade de Deus
Sob o céu turbulento
Acredita no transe da meia noite
Acredita no amor e na lei

Em seu coração cheio de promessas
Imagina para onde voaria
Na sua cabeça cheia de segredos
Pensamentos se perdem no ar
Jurada pela fé, pelo amor e o desejo

E quando a chuva toca seu rosto
Acredita que a vida é um presente de Deus
Toda vez que fecha os olhos e respirava fundo
Não precisa rir nem chorar
Estamos no paraíso.


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Sonhos Envelhecidos



Houve um tempo em que
Bastava uma batida tola do meu coração
Para que o mundo torna-se perfeito
Havia um lugar onde
Tudo que você podia fazer era
Desejar sobre uma gota de esperança

Mas agora é um novo tempo
Um novo lugar
Onde sonhos simplesmente não se realizam assim tão fácil
Nem mesmo quando existe uma pequena chama em seu coração
Verdade seja dita, os sonhos envelhecem
Desaparece a inocência, e ficamos com nossos pecados

Batimentos acelerados
Cores e promessas
Como é ser corajoso?
Como se pode amar quando se tem  medo de cair?
Mas vendo pelo lado de que tudo um dia acaba
Todas as minhas dúvidas de repente se vão
E dou um passo adiante... Chegando cada vez mais perto.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Ir-real

  
Segurando forte os meus segredos
Pedaços quebrados e espalhados
Da loucura diária em que vivo
Meus dedos apontam exatamente para o tempo
Onde nada pertence mais a mim

Às vezes eu choro a noite inteira
E isso machuca tanto
Por mais que eu tente entender
É assim que realmente sou

Me revisto de doçura
Mas nada faz sentindo
Em meus sonhos abalados
E meu orgulho ferido
Escondido em lugares em forma de rostos

Eu sinto falta daquilo que costumava ser
Mas tento mostrar ao mundo
Por meio de palavras não ditas
O quanto sou forte...

Então... Não vou chorar esta noite
Nem voltar para a fantasia da vida real.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Melancolia



Sinto uma força que me empurra
Levando meus pensamentos pra outro lugar

Intocável...
Invisível...
Porém presente.

Não tento fingir coragem
Nem tampouco me esforço em mentir

Estou apenas fechada
De mãos dadas
Comigo mesma

Um abismo de proporção imensa
Que se afunda nos devaneios da minha mente

Sono que se perde em pensamentos
E nada mais faz sentido

Sentidos?
Palavras?

Por meio de palavras tão vazias
E sentimentos revoltos
O silêncio me trás um oceano
Repleto de incertezas
Banhadas de melancolia.

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Nas Entrelinhas...



Por trás das sombras de um livro aberto
Com suas páginas desbotadas
Você pode tentar me compreender
Mas eu estarei secreta
Até que você precise de mim

Nas entrelinhas...
Você consegue me ler?
Nas entrelinhas...
É lá que vou estar
Entre o 'olá', e o 'Eu te daria a Lua'
Entre o 'Eu te amo' e o, 'Eu, eu te vejo em breve'.

Eu tento juntar as palavras
Espalhadas pelo chão
Eu tento sentir alguma coisa
Que não seja apenas esperança

Não vou me esconder de você
Não vou esconder minhas lágrimas
Você leu meu destino nas sombras do meu rosto
E minhas lágrimas se revelaram
Quando eu mais tentei escondê-las.

domingo, 8 de janeiro de 2012

Agua de Oceano

 
 
Em pleno deserto te encontrei
Nunca imaginava ser assim
O que jamais pensei
Foi ter você perto de mim

O sol queimava a minha paz
Quando você chegou
Não sabe o bem que me faz
À sombra desse amor

Água de oceano
Pra beber
Vivo mergulhado em você
Te amo pra valer
Lembre-se de não esquecer...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...